Translate

setembro 06, 2013

A máquina

Fonte
Lúcia Carvalho

Morreu uma tia minha. Ela morava sozinha, não tinha filhos. A família toda foi até lá num final de semana, separar e dividir as coisas dela para esvaziar a casa. Móvel, roupa de cama, louça, quadro, livro, tudo espalhado pelo chão, uma tremenda confusão.

 Foi quando ouvi meus filhos me chamarem.

— Mãe! Maiê!

— Faaala.

 Eles apareceram, esbaforidos.

— Mãe. A gente achou uma coisa incrííível. Se ninguém quiser, essa coisa pode ficar para a gente? Hein?

— Depende. Que é?

 Eles falavam juntos, animadíssimos.

— Ééé... uma máquina, mãe.

— É só uma máquina meio velha.


— É, mas funciona, está ótima!

 Minha filha interrompeu o irmão mais novo, dando uma explicação melhor.

— Deixa que eu falo: é assim, é uma máquina, tipo um... teclado de computador, sabe só o teclado? Só o lugar que escreve?

— Sei.

— Então. Essa máquina tem assim, tipo... uma impressora, ligada nesse teclado, mas assim, ligada direto. Sem fio. Bem, a gente vai, digita, digita...

 Ela ia se animando, os olhos brilhando.

— ... e a máquina imprime direto na folha de papel que a gente coloca ali mesmo! É muuuito legal! Direto, na mesma hora, eu juro!

 Ela jurava? Fiquei muda. Eu que jurava que não sabia o que falar diante dessa explicação de uma máquina de escrever, dada por uma menina de 12 anos. Ela nem ai comigo. Continuava.

— ... entendeu como é, ô mãe? A gente, zupt, escreve e imprime, até dá para ver a impressão tipo na hora, e não precisa essa coisa chatérrima de entrar no computador, ligaaar, esperar hóóóras, entrar no world, de escrever olhando na tela e sóóó depois mandar para a impressora, não tem esse monte de máquina tuuudo ligada uma na outra, não tem que ter até estabilizador, não precisa comprar cartucho caro, nada, nada, mãe! É muuuito legal. E nem precisa de colocar na tomada! Funciona sem energia e escreve direto na folha da impressora!

— Nossa, filha...

Fonte
— ... ah, mas só tem duas coisas que são meio chatas: não dá para trocar a fonte e nem aumentar a letra, mas não tem problema não. Vem, que a gente vai te mostrar. Vem...

 Eu parei e olhei, pasma, a máquina velha. Sensacional pensar assim. Eles davam pulinhos de alegria.

— Mãe. Será que alguém da família vai querer? Hein? Ah, a gente vai ficar torcendo, torcendo para ninguém querer para a gente poder levar lá para casa, isso é o máximo! O máximo!

 Bem, enquanto estou aqui escrevendo nesse meu antiquado "teclado", ouço de longe o plec - plec da tal máquina maravilhosa, que, claro, ninguém da família quis, mas que aqui em casa já deu até briga. Está no meio da nossa sala de estar, em lugar nobre, rodeada de folhas e folhas de textos "impressos na hora" pelos meus filhos. Incrível, eles dizem, plec - plec - plec, muito legal essa máquina mesmo, plec - plec - plec.

 Céus. Achei que tinha acabado, quando a minha filha vem de novo falar comigo, toda decidida e animada, com um texto recém escrito (sem ligar nada na tomada) na mão.

— Mãe. Me ajuda a fazer uma coisa muito legal que eu morro de vontade de fazer?

— O que é?

 Ela deu um sorriso, com um ar sonhador.

— Ah, eu queria tanto colocar isso dentro de uma carta... no correio, com envelope, selo colado... nunca fiz isso, mãe... ahhh, me ajuda?


Recebi esse texto por email, há um tempo e achei uma ótima sacada da escritora.
O que é muito antigo pra nós, é novidade pra muitos.
Não pude deixar de rir com a ingenuidade e objetividade das crianças.

Essa e outras postagens compostas de humor, tentações e curiosidades estão no marcador Elixir.
Postagem anterior: Caixa Borboletas


21 comentários:

José María Souza Costa disse...

CONVITE
Passei por aqui lendo, e, em visita ao seu blog.
Eu também tenho um, só que muito simples.
Estou lhe convidando a visitar-me, e, se possível seguirmos juntos por eles, e, com eles. Sempre gostei de escrever, expor as minhas idéias e compartilhar com as pessoas, independente da classe Social, do Credo Religioso, da Opção Sexual, ou, da Etnia.
Para mim, o que vai interessar é o nosso intercâmbio de idéias, e, de pensamentos.
Estou lá, no meu Espaço Simplório, esperando por você.
E, eu, já estou Seguindo o seu blog.
Força, Paz, Amizade e Alegria
Para você, um abraço do Brasil.
www.josemariacosta.com

Regina disse...

Bruxa, querida

Achei incrível e linda essa história.

beijo carinhoso

Regina Célia

Andreza Canela Castela disse...

Que bacana este texto!!!
Divertido. Tecnologia em alta!
Sabe que este coaxar dos sapos é um relax para meus ouvidos?
Adoro!
Beijos e bom final de semana amiga!

Ateliê Tribo de Judá disse...

Nossa!!! que coisa mais linda|!!!
Recordei-me agora das muitas horas que passei ao lado me minha pequena máquina de escrever fazendo meus trabalhos da escola...ah!! eu sou daquelas pessoas que tem até diploma de datilografia kkkkkkkkkkkkk
é verdade!!! eu tenho.. kkkkkkkk
Sou muito moderna !!! kkk
Lindo post.
Beijos
Joelma

ANALAICE disse...

Ai muito legal mesmo... Eu me senti exatamente assim quando ganhei da minha mãe, a agulha de fazer ponto russo, que era da minha avó... E olha que ela é muito melhor da que a moderninha que comprei depois...rsrsrs...Bjs e um fim de semana mágico pra ti...

jane disse...

Olá!!!
Texto muito legal a menina de 12 anos descrevendo a máquina de escrever comparando-a com um computador é sensacional, amei!!!!
Bjs e muitas bênçãos, jane Ü

Christiane Garcia disse...

Bruxa, que texto lindo! Obrigada por compartilhar!
Te desejo um lindo fim de semana. Bjs

formaplural disse...

Fui lendo seu texto e lembrando da primeira experiência que meu caçula teve com a máquina de escrever. É sensacional mesmo, adorei a descrição de sua filha! Beijo e tenha um excelente final de semana.

Rita disse...

Bom dia ,bom final de semana!
Que maravilha essa maquina foi numa assim que aprendi a escrever, é fabulosa mesmo parabéns guarde com muito carinho pois é uma raridade bem especial

Abraços com carinho
De um feriado feliz..

└──●► ¸.·*´¨) ¸.·*Rita!!

Prata da casa disse...

Querida amiga. achei este texto um espanto,maravilhoso mesmo. Pensar que não faz muitos anos que aprendi a escrever numa máquina de escrever e que ainda a tenho guardada.Chamá-la de computador, com impressora incorporada e sem estar ligada à tomada, achei o máximo... Com a sua licença, vou levar o texto,OK?
Bjn
Márcia

Jessiiiih =) disse...

Sempre quis ter uma maquina de escrever

Pagina do blog no facebook,curte?
http://umagarotacitouu.blogspot.com.br
Beeijos :*

Amara Mourige disse...

Bruxa, que lindo texto!Minha filha é louca para ter uma máquina dessas,mas nos brechó e antiquário é muito caro.
Estive ausente
Eu estava triste e me ausentei, mas agora estou bem e de volta!
Beijinhos
Amara

Arlete Mourige disse...

Olá Bruxinha! História linda! Eu muito datilografei em máquina de escrever.Eu sou deste tempo.A comparação que a menina fez , muito legal. Bom domingo Bjs

FLAVIA SEABRA & LENINHA SEABRA disse...

Olá Bruxa!Que linda história!Esta
maquina meu pai trabalhou anos e anos
com uma desta.Bela antiguidade e o
relato será guardado com carinho.Te
desejo um lindo e abençoado domingo.
Beijo grande

Joana Neves disse...

Olá amiga! Passei para dizer que você é destaque do mês de setembro lá no meu blog! :) tem um miminho para você lá! :) Espero que goste!!

Parabéns e continuação de postagens maravilhosas e felizes ^.^ Seu blog é tudo de bom! <3

bjinhos, Joana Neves
http://joana-neves.blogspot.pt

Laura Ferreira disse...

Olá flor!!
Bela históriaa!!
Aproveito para te convidar para curtir a fanpage do meu bloguinho:

https://www.facebook.com/NossoAtelieByLauraFerreira?ref=hl

Será um mega prazer ter vc por lá!!

Linda semana ^^

XerOOo

Nyce Pinto. disse...

Amiga, fiz uma viagem no tempo!!! Uma máquina de escrever, naquele tempo que nem imaginávamos o que seria escrever com hoje, depois da manual a elétrica, já era luxo quem tinha!!! Adorei! Fiquei muito feliz com as recordações que o texto trouxe... Feliz semana, um abraço...

Josiene Vassallo disse...

Oi Bruxinha, adorei este post, a menina do texto parece até a minha filha, ela adora os objetos antigos, como: telefone de disco, máquina fotográfica antiga, relógios antigos, etc. Com certeza ela iria adorar a máquina de escrever também.
Beijinhos e uma semana linda!
Ene ♥

✿ chica disse...

Que linda história e realmente bela sacada!! beijos,linda semana,chica

ValériaC disse...

Muito legal, Bruxa!
É fascinante ver o encanto nos olhos de alguém. O que pra nós, uma máquina assim não é novidade, o é algo impressionante para os mais novos.
Escrever numa máquina dessas e especialmente mandar cartas pelo correio. Talvez as escolas pudessem pelo menos fazer as crianças numa atividade, mandar cartas pelo correio, umas para as outras, acho que elas iriam gostar.
Minha querida, amei sua companhia e palavras lá no meu Blog, seja muito bem vinda, você é das minhas rsrsr, amo gente, amo natureza e bichos.
E claro que vou ficando por aqui e vou levando o link do seu Blog.
Boa semana, beijos,
Valéria

Patrícia Gonçalves disse...

hahaha essa eu tenho que mostrar para o marido!
Adorei o texto e fiquei imaginando cada frase e alegria dessas crianças.
Meu filho já viu uma...rsrs
Adivinha onde? No escritório de Contabilidade do meu irmão em Caraguá...rsrsr. Duvido algum escritório não ter uma...nem que esteja no arquivo morto...rsrs
Muito legal, amei o post!

bjs
Paty